Integração das placas solares na construção da sua casa

A energia solar é uma das mais limpas e rentáveis do mundo. Com os avanços tecnológicos, está se tornando cada vez mais acessível, aumentado a procura por empresas que instalam sistemas solares em residências.

Dentre as opções existentes, destaca-se o sistema solar fotovoltaico, capaz de captar a luz do Sol, por meio de placas, e produzir eletricidade para abastecer o consumo da sua casa.

Você está planejando integrar placas solares em sua casa em construção, mas não sabe como incluir isso no gerenciamento da obra? Então continue lendo, pois neste artigo vamos esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto.

Vamos lá!

É possível instalar o sistema fotovoltaico em paralelo com a construção?

Sim, e na verdade é a melhor alternativa! Planejar a instalação do sistema junto com a construção da edificação permite que o engenheiro faça o projeto de modo mais assertivo.

Alguns aspectos que podem ser melhor calculados e definidos quando a casa ainda não está construída:

  • Projetar a casa de acordo com a melhor orientação do telhado em relação ao sol;
  • Calcular o telhado com a inclinação ótima para as placas solares;
  • Planejar com liberdade o layout para posicionar os equipamentos do sistema.

De acordo com as práticas do setor, há 3 regras básicas para instalação correta da placa fotovoltaica:

Regra 1:Voltar a face da placa para o norte geográfico para maximizar a produção média diária de energia.

Regra 2: Calcular o ângulo de inclinação da placa em relação ao solo considerando a latitude geográfica da localidade. Há tabelas para obter os valores corretos.

Regra 3: Usar sempre números pares de placas, pois é mais bonito e facilita a configuração do inversor.

Como compatibilizar as placas com os projetos?

Com ou sem os projetos da casa prontos, cada eixo de planejamento tem características que precisam ser compatíveis com a instalação do sistema solar.

O projeto arquitetônico, por exemplo, considera aspectos de estética e conforto ambiental. Em sua concepção, leva em conta a orientação solar para melhorar a iluminação natural da casa.

Quando o sistema fotovoltaico é projetado junto com a arquitetura, permite definir o telhado e posição da casa já pensando no aproveitamento ótimo do potencial energético do Sol.

Caso o projeto já estiver pronto, é preciso avaliar as dimensões e ângulo do telhado para planejar onde os painéis serão fixados.

Quanto ao projeto estrutural, o ponto principal é avaliar a capacidade de carga das vigas e pilares, conferindo que o peso das placas será suportado. A carga média adicionada com os painéis é de 15kg/m².

Ao conferir a compatibilidade com o projeto elétrico, considera-se principalmente:

  • Os tipos de eletrodutos disponíveis na obra;
  • O padrão de entrada da casa (fases, disjuntores e amperagem);
  • Local de instalação do quadro de distribuição e disjuntor de entrada.

Outros projetos complementares, como o hidrossanitário e o de telefone, devem ser considerados para evitar cruzamentos e sobrecargas. No entanto, se as placas forem para um sistema solar térmico – diferente do fotovoltaico – devem ser projetadas as tubulações especiais para água quente.

Como dimensionar o sistema se ainda não existe consumo na casa?

Geralmente a demanda energética e os tamanhos dos painéis são dimensionados a partir dos dados de consumo da residência. Mas como fazer se é uma obra em andamento?

Nesse caso, é feita estimativa com base no consumo da sua casa anterior. Além disso, considera-se para o cálculo:

  • Equipamentos de maior consumo que estão no projeto (ar condicionados, chuveiros, entre outros);
  • Quantidade de moradores (incluindo possíveis futuros moradores, como o plano de ter filhos).

Como incluir essa instalação no orçamento da obra?

Para ter um gerenciamento eficiente e economizar recursos, a integração das placas solares à execução da obra deve estar contabilizada no orçamento e no cronograma.

Estima-se que em média o investimento no sistema fotovoltaico não supere 20% do montante da obra, calculado por meio do Custo Unitário Básico (CUB). No entanto, essa aproximação é indicada apenas para o estudo de viabilidade, não para o orçamento definitivo.

Para saber com maior precisão os valores e prazos para administrar os serviços, solicite orçamento de duas a três empresas do setor de energia solar em sua cidade. Com isso, será mais fácil controlar e reduzir os gastos.

Extra: você sabia que existem financiamentos para a implantação da energia solar? E inclusive de bancos públicos e privados oferecem essa possibilidade. Isso facilita muito, não é mesmo?

Qual é o melhor momento da obra para instalar o sistema solar?

Como os equipamentos do sistema são tecnológicos e com alto valor agregado, o ideal é não os deixar como outros materiais no canteiro de obras.

Por isso, é melhor adquiri-los apenas no momento da instalação, ou seja, em fases mais avançadas da obra. Portanto, coloque no cronograma a execução desse serviço entre os últimos acabamentos, no final.

Se você se interessou pelo tema e quer saber mais, acompanhe as nossas publicações e fique por dentro das novidades sobre energia solar!