9 de fevereiro de 2016

Carnaval cheio de cor

Somos fãs de paredes cinza assumidos. Deu bobeira? Tacamos cinza e tá tudo resolvido. É uma cor versátil, dá conta de receber as doses de cor da ~decoração e muito, muito bonita.

O primeiro cômodo que pintamos foi a sala / sala de jantar. Temos uma parede bem compridona que une todos os ambientes - são 7,10 metros - e o cinza estava predominante. E daí sentimos, com o tempo, que precisávamos de um toque de cor que fosse além dos quadros. Talvez delimitar de alguma forma a região da sala.

Um pouco de pesquisa e muito Pìnterest depois, decidimos que ia rolar uma ~intervenção geométrica~.

Não teve muuuito planejamento prévio. Comprei alguns sprays azuis, porque achamos que a cor casaria bem com o resto dos móveis e objetos que já temos, resgatamos um spray amarelo velhinho que tínhamos aqui e criamos um padrão no InDesign (mas qualquer programa de edição resolveria, na verdade dava até pra projetar na mão).
Começamos transferindo os triângulos para a parede com lápis, régua e borracha mesmo (um esquadro também pode ser útil, pra garantir que está tudo retinho). Segunda etapa foi delimitar as áreas que pintaríamos com muito papel e fita crepe. ps. usei folhas de caderno porque não tínhamos jornal, se quiser fazer, use o que estiver à mão.
Como usamos tinta spray, é aquele esquema do ~devagar e sempre~. Sempre tomando cuidado para não aplicar tinta em excesso, pois ela pode deixar alguns escorridos.
Secou? Tira a fita crepe e os papeis e bora para o próximo triângulo (e não se esqueça do papel, MUITO PAPEL, para isolar).
Em mais ou menos 3 horas terminamos a etapa da pintura :D O tenso foi limpar. Se você não tem o hábito de usar tinta spray, vai o aviso: faz um poeirão e uma sujeira danada. Em ambientes fechados então, vish. O apartamento ficou AZUL. Onde encostávamos, pó azul. Mas quer saber? Lavou tá novo rs.

1 de janeiro de 2016

Vem com tudo, 2016!

Eu não sou de pensar no ano que passou, estabelecer metas, fazer listas... Mas nesse final de ano as coisas mudaram um tiquinho o ~modus operandi~ de fim de ano por aqui, afinal de contas agora em dezembro fez 1 ano que pegamos as tão sonhadas chaves do Apartamento 14!

Hoje é inevitável olhar para tudo que construímos nesse último ano sem fazer essa ~retrospectiva~ clássica. E tudo que eu sinto é muita gratidão <3 Estamos construindo nosso lar a cada dia e fazendo com que cada cantinho tenha um significado, uma história, algo gostoso para lembrar.

E junto disso vem a vontade de continuar fazendo mais e mais. Não vou estabelecer metas, não vou me preocupar com prazos. Quero viver, me encher de inspiração e deixar as coisas por aqui acontecerem no próprio ritmo.

Só ~peço para o universo~ que 2016 seja tão lindo quanto 2015 e que tenhamos quem amamos sempre por perto.

3 de agosto de 2015

Porta-chaves ou porta-quadros?

Quando me mudei, nossas chaves ficavam jogadas no balcão e eventualmente se perdiam pela casa. Tava feio e começando a incomodar. Aí antes que a situação ficasse crítica, decidimos fazer um porta-chaves bem simples, com o que nós tínhamos em casa mesmo. Se quiser fazer um também, dá uma olhada no passo a passo!

26 de julho de 2015

Cozinha: o coração da casa

Aqui em casa nós passamos MUITO tempo na cozinha | ~sala de jantar~. Gostamos de cozinhar e mais ainda de comer. Então isso meio que já explica o porquê de termos dado prioridade ao cômodo na hora de mobiliar a casa, né?

Ainda falta uma corzinha que resolveremos com os famosos adesivos de ladrilho hidráulico (ainda não esqueci desse ~desejo~), mas a cozinha já está bem perto do que nós idealizávamos.

Quer conhecer esse nosso cantinho querido no detalhe? Então vem com a gente!

16 de julho de 2015

Compensado virola: como pintar e deixar tudo lisinho

Para quem viu nosso balcão e nosso aparador prontos, não faz ideia da trabalheira que deu deixar tudo nos ~trinques~. E como usamos compensado virola, um passo extra foi necessário para que as portas e gavetas ficassem bonitonas - a madeira é bastante irregular e a gente queria o móvel lisinho nas áreas pintadas.
Fizemos alguns testes com o que nós tínhamos em mãos e agora é hora de compartilhar ~nossa técnica~ de pintura - e já adiantamos que só usamos materiais simples de achar, às vezes tá tudo jogadão num canto da garagem, é só resgatar!

1) Pra começar, passamos massa corrida em toda superfície a ser pintada. Pode ser massa niveladora de madeira? Acho que talvez seja até mais adequado, mas como massa corrida era o que tínhamos, foi nossa escolha. Nessa hora o ideal é deixar tudo o mais regular possível, assim o trabalho na próxima etapa será menor!
2) Tudo seco e emassado? Hora de lixar. Usamos lixa de madeira 250 e deixamos tudo bem lisinho - qualquer irregularidade vai ficar bem gritante na hora da pintura, então vale a pena avaliar se é melhor voltar pra etapa da massa e repetir o processo, ou se é algo que não vai aparecer tanto assim.
3) Bora pintar. É aquele esquema de sempre do spray, cuidando para não deixar excessos de tinta e escorridos. Eu que sou iniciante nessa ~arte~ da pintura com spray sofri um pouco, pois a superfície com massa não é tão absorvente, parece meio escorregadio (!), então cuidado redobrado. (A cor que usamos é a Wanyology Blood, da Ironlak)
4) Tá pronto? Quaaase. Depois de pintar com o spray, tudo fica meio granuloso, já percebeu? Para deixar tudo lisinho - como se a gente estivesse laqueando com menos grana - é hora de passar mais uma lixa. Agora é a vez da lixa d'água 600. Você espirra um pouco de água e vai passando a lixa SUAVEMENTE. A ideia é se livrar dos grânulos, não tirar toda a tinta até chegar na massa corrida branca.
Depois de tudo seco rola passar uma camada de cera, mas é opcional. É uma ~técnica~ bem simples, funciona bem para madeira sem revestimento e deixa a pintura bem acabada. Além disso, nossas portas e gavetas têm aguentado bem o uso frequente e a limpeza de toda semana, acredito que ela permaneça bonitona por muito tempo ainda.

Pin It button on image hover